Publicidade

Entrevista com o síndico

Entrevista com o síndico: Regina Spalding


Postada em 05/08/2019 às 09:05
Por Marília Montich

Arquivo pessoal

A síndica profissional Regina Spalding, 59 anos, conta com carreira consolidada e experiência de dar inveja aos novatos. Ao todo, atua na área há 13 anos. Destes, os últimos sete têm sido dedicados ao condomínio em que mora, na Vila Mariana. Fazer a “roda girar” de forma efetiva mesmo com orçamentos apertados é, para ela, o principal desafio da profissão. Apesar das dificuldades, acredita que a figura do síndico vem ganhando mais respeito e notoriedade com o passar do tempo.


Quando a senhora descobriu a vocação para ser síndica?
Antes de ser síndica fui conselheira por quatro anos em outros prédios e, posteriormente, convidada a assumir o cargo maior no condomínio. A vocação veio com a experiência inicial no conselho, sendo ouvinte e observadora da dinâmica do prédio.


Onde e quando fez o curso de síndico profissional? O que te agregou?
Fiz o curso na Escola Paulista de Direito em 2010 e, quatro anos depois, me atualizei pela internet. As aulas me trouxeram complementação, principalmente no que diz respeito a direitos e deveres, uma vez que ainda não tinha experiência do cargo.


Do que a senhora mais gosta na sua profissão?
Gosto de administrar obras, participar desde a cotação até a escolha de empresas, gerir funcionários e encontrar soluções para o cotidiano dos moradores.


Quais são, na sua opinião, os principais desafios da carreira de síndico?
Fazer todo o sistema funcionar ainda que com o orçamento justo. Isso fica notório quando os moradores têm dificuldade de compreender que, para a segurança do conjunto, é necessário investir em manutenção e preservação do patrimônio, que é de todos e não somente da porta do corredor para dentro.


Ao longo desses 13 anos como síndica, qual a situação mais difícil que enfrentou e como a solucionou?
Lidar com pessoas não é uma tarefa fácil. Em um prédio há diversos moradores, com idades diferentes e cada um acha que merece mais atenção e privilégios do que o outro. Mas, sem dúvida, um dos momentos mais complicados que passei foi quando tentei dispensar funcionários improdutivos, que causaram diversos problemas ao condomínio, desde falta de confiança até outros mais graves, porém não tínhamos verba para pagar as indenizações.


Acredita que atualmente o papel do síndico é mais valorizado do que era antigamente?
Hoje as pessoas estão mais cientes quanto à importância da segurança do lugar onde vivem. Portanto, veem no síndico a figura de quem assume tal responsabilidade.


Faça o download gratuito da nossa primeira edição