Publicidade

Convivência

Organização é essencial na luta contra a abstenção em assembleias


Postada em 26/06/2019 às 15:22
Por Marília Montich

Pixabay

As assembleias não costumam ser os eventos mais concorridos dentro de um condomínio. Pelo contrário: enquete lançada pela Revista Área Comum em seu perfil no Instagram revelou que 64% dos seguidores não participam das reuniões periódicas. Dentre os motivos listados para a abstenção está o fato de os moradores as considerarem improdutivas, com discussões que não chegam a resoluções.


Para reverter essa realidade, o segredo é investir em organização. “O principal problema é a falta de planejamento. O ideal é que se a reunião for ocorrer em 15 ou 20 dias, síndico, conselho e administradora sentem, já separem as pautas que vão ser discutidas e montem uma apresentação. Assim, todos vão chegar na assembleia falando a mesma língua”, diz o presidente da Abrascond (Associação Brasileira de Síndicos Profissionais de Condomínios), Reginaldo da Silva.


O especialista também destaca que é preciso chamar a atenção do público, no caso, dos condôminos, para os temas abordados. “Hoje você tem que se fazer apresentações mais atraentes. Há muitos representantes de administradoras que chegam nas reuniões com um punhado de papel, falando sem parar e aquilo fica desgastante. As pessoas gostam de acompanhar reuniões vendo um slide, uma apresentação bem feita e isso não vem acontecendo na grande maioria dos condomínios.”


Já para Marcos Druzili, vice-presidente da Assosíndicos (Associação dos Síndicos de Condomínios Comerciais e Residenciais do Estado de São Paulo), um dos maiores vilões das reuniões de condomínios é a falta de um discurso eficaz. “A recomendação é sempre ter uma comunicação clara, objetiva e principalmente mostrar a importância da participação de todos ou no mínimo da maioria. Para isso, se faz necessário unir propriedade de informação e uma boa apresentação”, explica.


Mesmo com a baixa adesão nas reuniões, a grande maioria dos leitores da Área Comum (80%) afirmou que gostaria de estar mais por dentro dos assuntos do condomínio. A percepção é compartilhada pelos especialistas. “Sem dúvida o dia a dia nos empreendimentos é uma preocupação constante de seus moradores, afinal de contas o morador está cuidado do bem mais valioso dele, o patrimônio”, diz Druzilli. “Acredito que se a assembleia for bem planejada, com pauta definida, com duração máxima de duas horas e meia e em um ambiente agradável, com um café, um suco, um pão de queijo, haverá maior adesão. É importante que as pessoas participem mais, para que não só meia dúzia de pessoas decidam a vida de todos”, finaliza Silva.


Publicidade

Buscar
Conecte-se