Publicidade

Segurança Tecnologia

Mercado de portaria remota prevê crescimento de 30% em 2020


Postada em 23/10/2019 às 08:37
Por Revista Área Comum

Pixabay

Levantamento realizado pela Abese (Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança) com empresas de segurança de todo o Brasil mostra que a instalação e gerenciamento de portarias remotas já representam até 20% do volume de vendas de 67% dos entrevistados e 11% das empresas já trabalham exclusivamente na oferta de portaria remota. Além disso, para 22,7%, a expectativa de crescimento para o próximo ano supera 30%.


Apesar do otimismo, 76,5% das empresas revelaram que sofrem ou já sofreram algum tipo de resistência por parte dos condomínios em relação à nova tecnologia. Entre os principais questionamentos está a dúvida sobre a segurança. No entanto, as entrevistadas asseguram que com o sistema implementado fica mais fácil respaldar a entrada e saída com imagens - dados que ficam gravados e que podem ser utilizados assim que necessário.


Outra questão passa pelos profissionais de portaria que temem ficar sem emprego. O fato é amplamente discutido pelos sindicatos e também entre os moradores. Contudo, o levantamento mostra que 34,5% das empresas que atuam com portaria remota já realizam a requalificação dos porteiros para as áreas de atendimento, assistentes de manutenção, operadores remotos, seguranças ou até mesmo para compor portarias híbridas - que operam com o profissional local junto ao sistema remoto.


Ainda segundo a pesquisa, o cenário das portarias remotas ainda está concentrado nas regiões Sul e Sudeste. São Paulo concentra 43,5% das empresas, seguido pelo Paraná com 13%, Rio Grande do Sul (9,2%), Rio de Janeiro (8,4%) e Minas Gerais (7,6%). No Nordeste, o Ceará aparece em primeiro com 5,3%.