Publicidade

Convivência Regiões Sudeste São Paulo

Condomínio tenta segregar chineses por conta do coronavírus


Postada em 06/02/2020 às 11:21
Por Revista Área Comum

Freepik

Um condomínio comercial em São Paulo fez um comunicado em que determinava “algumas condições" para que funcionários chineses de uma das empresas pudessem entrar no prédio. A medida se deu após decreto de emergência internacional pela OMS (Organização Mundial da Saúde ) diante do coronavírus.


Segundo o comunicado, que circulou nas redes sociais, os funcionários chineses precisariam usar máscaras cirúrgicas, usar apenas o elevador privativo e higienizar as mãos com álcool gel.


"Há um empresa oriental instalada neste edifício e dentre os funcionários existem vários chineses. Além disso, está prevista a chegada de chineses na próxima semana. Como medida de prevenção, o condomínio determinou algumas condições para que nossos ‘irmãos’ chineses possam acessar as dependências do prédio", diz o texto.


No comunicado, a administração afirma que a finalidade das medidas seria "prevenir eventual transmissão aos usuários do condomínio".


O gerente do condomínio confirmou a existência do comunicado, mas disse que as medidas nunca chegaram a ser tomadas porque dois dias depois a administração foi procurada pela empresa. Segundo ele, a companhia informou que todos os funcionários vindos da China estavam seguindo as recomendações da OMS de ficar em quarentena.


Um segundo comunicado foi, então, divulgado informando que as medidas não seriam mais tomadas, mas que era importante que todos tivessem precaução.