Publicidade

Artigos

Redes de proteção: uma decisão inteligente


Postada em 09/03/2020 às 12:32
Por Marilen Amorim Fontana*

Caroline Garcia

Todos sabem o quanto as redes de proteção são essenciais, principalmente nos condomínios. Mesmo assim, sempre é bom frisar sua importância em vista dos acidentes que frequentemente ocorrem, gerando grandes danos e arrependimentos.

As redes são indispensáveis não só para crianças, mas também para animais de estimação. Sem contar os próprios adultos, que podem ainda se apoiar em janelas ou varandas para fazer limpeza e manutenção.

Mas como saber se a segurança que a rede me traz é de fato real? Sabendo a procedência e a qualidade do produto. Você deve acessar o fabricante escolhido e verificar o laudo de fabricação com todas as especificações, como resistência, durabilidade e os testes que foram feitos com aquele material. Observe que a qualidade do produto não é definida somente pelo peso que a rede resiste, mas também pelo tratamento que o produto recebe, considerando a ação do tempo e outras variáveis.

A rede deve ser de polietileno, ter tratamento anti-UV e certificado do Instituto Falcão Bauer. O tamanho da malha deve ser de cinco centímetros, a espessura de 30/21 fios, a resistência de 500 quilos por metro quadrado e a garantia de três anos. Os ganchos devem ser galvanizados e sua instalação precisa obedecer a proporção de 30cm em 30cm, no mínimo. É importante citar que no Litoral, devido aos efeitos causados pela maresia, os ganchos devem ser obrigatoriamente de inox devido à ferrugem.

Para a instalação, contrate uma empresa idônea e qualificada que instale as redes conforme as normas de segurança exigidas pela ABNT. Se no imóvel já existir proteção, é possível chamar a empresa para fazer uma inspeção de qualidade, garantindo que você não tenha uma falsa sensação de segurança. Muitas vezes a rede está aparentemente perfeita, mas quando precisar contar com ela, pode não oferecer a necessária resistência.

Com esses cuidados, você não só estará garantindo a segurança de todos, como a sua própria paz e tranquilidade, o que significa aumento de qualidade de vida.

Lembramos ainda que atualmente existem redes de cores e materiais discretos, que não prejudicam a estética do imóvel. Isso torna ainda mais fácil a sua utilização em qualquer ambiente.

 

*Marilen Amorim Fontana é advogada especialista em direito imobiliário, condominial e previdenciário, membro efetivo da Coordenadoria de Direito Condominial da OAB-SP

Para ler a edição na íntegra de forma gratuita é só clicar aqui.