Condomínio em Campo Grande faz campanha por interferência em casos de violência doméstica

Convivência
Pixabay

Um condomínio de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, adotou sistema próprio para combater a violência doméstica. A administração fez placas informativas e tem orientado os moradores a acionar a PM (Polícia Militar) em casos de agressão.

“A gente mete a colher sim e orienta todo mundo, tanto os funcionários como as outras pessoas, a se intrometer. Tem muitos casos em que as pessoas se omitem ou até mesmo, quando a polícia chega, a vítima fala que não aconteceu nada e fica por isso mesmo. Nós não. Independentemente se a pessoa falar que não aconteceu nada ou não, a gente tem essa atitude de chamar a polícia”, afirma Helder Lacerda Oliveira, síndico do condomínio, em entrevista à Rede Globo.

Há avisos logo na entrada do prédio, assim como nos 18 blocos que compõe o condomínio. Nas placas, lê-se: “Atenção, condôminos, todos os nossos funcionários estão orientados a acionar a Polícia Militar em caso de ação doméstica contra mulheres e crianças nas áreas comuns bem como nas unidades autônomas”.

Ao todo, cinco mil pessoas vivem no local. A maioria aprova a medida no intuito de acabar com a violência.

Deixe um comentário