Dono de construtora teria envenenado árvores para ampliar condomínio

Casos de polícia Santa Catarina
IGP/Divulgação

O dono de uma construtora foi indiciado pela Polícia Civil por suspeita de envenenar sete araucárias, em Chapecó (Santa Catarina) no ano passado. A polícia acredita que ele tenha feito isso para ampliar um condomínio de casas de médio a alto padrão. Em depoimento, ele negou as acusações.

Segundo o titular da 3ª Delegacia de Polícia, delegado Willian Meotti, o homem cortou um filete do tronco das árvores – ameaçada de extinção – e injetou uma substância. Com isso, as folhas caíram e as araucárias morreram. Servidores do IGP (Instituto-Geral de Perícias) foram até o local e constataram o envenenamento.

O homem foi indiciado por destruir e danificar vegetação do bioma Mata Atlântica, que resulta em prisão de um a três anos. Entretanto, segundo o delegado, a pena pode ser convertida em serviços comunitários. Ele responde em liberdade.

Deixe um comentário