Moradora é condenada por racismo após chamar síndico de “negro safado”

Casos de polícia Minas Gerais
Pixabay

Uma moradora de um edifício no Jardim Atalaia, em Governador Valadares, em Minas Gerais, foi condenada a um ano e dez dias de prisão por injúria racial contra o síndico. O crime ocorreu em 2013.

De acordo com o TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), o caso aconteceu após o gestor retirar as tomadas de energia elétrica que ficavam nos corredores do prédio. A mulher, então, questionou o síndico sobre o motivo da alteração que, por sua vez, respondeu que ela podia procurar seus direitos na Justiça. Foi quando a moradora insinuou que o homem estava levando vantagem à frente do condomínio e o chamou de “negro safado” e “negro à toa”.

O síndico deu queixa na polícia. Uma testemunha que presenciou a discussão afirmou à Justiça que a condômina intencionalmente usou a cor de pele do homem como forma de ofendê-lo.

A moradora recorreu alegando insuficiência de provas, mas o desembargador do caso afirmou que crime de injúria racial é definitivo e a condenação deveria ser mantida.

Deixe um comentário